Concurso Unificado é adiado em todo país; veja anúncio!

Em coletiva, Governo Federal anuncia o adiamento das provas do Concurso Unificado em todo país. Veja!

Autor:Bruna Somma
Publicado em:03/05/2024 às 14:23
Atualizado em:04/05/2024 às 12:19

Agora é oficial! Pela situação de calamidade pública no Rio Grande do Sul, o Governo Federal confirmou nesta sexta-feira, 3, o adiamento das provas do Concurso Nacional Unificado (CNU) em todo o país.


O edital de retificação foi publicado em Edição Extra do Diário Oficial da União na noite de sexta-feira, 3. Acesse aqui o documento!


A aplicação estava prevista para domingo, 5 de maio, em 228 cidades brasileiras.

"Em razão da calamidade pública no Rio Grande do Sul, o Concurso Público Nacional Unificado será adiado em todo o país. A nova data será anunciada assim que houver condições climáticas e logísticas de aplicação da prova em todo o território nacional", consta em nota oficial do Governo.

Uma coletiva de imprensa foi realizada no Palácio do Planalto, com a presença da ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, e do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social do Brasil, Paulo Pimenta, para explicar a decisão.


Na ocasião, a ministra Esther Dweck informou que, diante da situação climática no Rio Grande do Sul, seria "impossível aplicar as provas no estado".

"A conclusão que a gente teve hoje é que seria impossível realizar as provas no Rio Grande do Sul, seja pelos locais de prova afetados, seja pela impossibilidade de segurança na realização das provas, seja pelo risco de vida das pessoas que estariam envolvidas nesse processo", afirmou Esther.

Desde o início da semana, fortes chuvas atingem o Rio Grande do Sul. Conforme boletim divulgado na manhã desta sexta, 3, pela Defesa Civil do estado, 31 pessoas morreram e mais de 17 mil estão desalojadas.


Segundo a ministra da Gestão, o objetivo do adiamento é garantir que todos possam realizar as provas nas mesmas condições em todo o país e que o resultado tenha o respaldo jurídico necessário.

Ministra Esther Dweck confirma adiamento das provas do CNU

(Foto: Folha Dirigida por Qconcursos)


Esther Dweck ainda pontuou que ainda não há uma nova data para as provas.


Isso depende da logística junto à Fundação Cesgranrio, banca organizadora do concurso, para que todas as mais de 75 mil salas de aplicação no país e 200 mil pessoas envolvidas no processo estejam disponíveis.

"A logística não possibilita a divulgação de uma nova data da prova com certeza no momento. Em algumas semanas teremos essa resposta", disse a ministra.

Segundo ela, em cerca de 65% das cidades, os cadernos de questões já tinham chegado, com escolta dos órgãos de Segurança Pública.


Esther detalhou que a ideia é fazer a logística reversa e centralizar as provas novamente em locais com certificação de segurança pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).


Confira o anúncio do governo pelo canal da Folha Dirigida por Qconcursos:

Governador do RS já tinha falado sobre a inviabilidade das provas

A possibilidade de adiamento das provas do CNU já tinha sido levantada desde quarta, 1º, após o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirmar que o estado estava "inviabilizado", após as fortes chuvas na região.

"Vamos recomendar, sim, ao Governo Federal que essa situação seja contornada de alguma forma. Esse concurso ficou completamente inviabilizado neste fim de semana para a população gaúcha. Vamos solicitar que seja encaminhado algum tipo de solução para o Concurso Nacional Unificado. Não sei avaliar qual neste momento, mas tenho a confiança de que será dado algum tipo de solução pelo Governo Federal, para não punir a população gaúcha, que pretendia participar do concurso e que vai ter restrições neste momento por conta das condições climáticas que romperam estradas e afetaram famílias, que têm transtornos incontáveis nessas localidades", disse.

Na noite de quinta, 2, após reunião no Palácio do Planalto, o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, responsável pela organização do concurso, chegou a informar que as provas seriam mantidas.


Porém, após o agravamento da situação no Rio Grande do Sul, atingindo inclusive a capital, Porto Alegre, o Governo Federal optou pelo adiamento. Bloqueio de estradas, aeroportos e rodoviárias contribuíram para a decisão.

Resumo do Concurso Nacional Unificado

  • Instituto: mais de 20 órgãos do Executivo Federal
  • Situação atual: provas adiadas
  • Banca: Fundação Cesgranrio
  • Cargos: diversos
  • Escolaridade: níveis médio e superior
  • Vagas: 6.640
  • Remuneração: até R$23.579,71
  • Inscrições: 19 de janeiro a 9 de fevereiro
  • Data da prova objetiva: a definir

Saiba mais e estude para o concurso gratuitamente.

Rio Grande do Sul tem mais de 80 mil inscritos no concurso

O Estado do Rio Grande do Sul registrou 80.348 inscritos para o Concurso Nacional Unificado. Mais de 20 mil pessoas também estariam envolvidas na aplicação das provas na região.


São dez cidades para aplicação das provas:

  • Bagé;
  • Caxias do Sul;
  • Farroupilha;
  • Passo Fundo;
  • Pelotas;
  • Porto Alegre;
  • Santa Cruz do Sul;
  • Santa Maria;
  • Santo Angelo; e
  • Uruguaiana.

O campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC RS), em Porto Alegre, é o que receberia mais candidatos em todo o país. Foram alocados 12.374 inscritos no local.


Assim como o restante do país, os candidatos disputam 6.640 vagas em cargos dos níveis médio e superior, com salários que podem ultrapassar os R$20 mil.


A oferta é para 21 órgãos e entidades do Poder Executivo Federal.

CNU prevê a devolução de taxa de inscrição

Os editais do Concurso Unificado trazem a previsão de situações como a atual no Rio Grande do Sul. É possível a devolução da taxa de inscrição em caso de desastres naturais.


Segundo o item 11.16 do edital de abertura, "o candidato afetado por problemas logísticos, durante a aplicação das provas do Concurso Público Nacional Unificado, poderá solicitar a devolução do valor pago a título de taxa de inscrição em até cinco dias úteis após o dia de aplicação das provas".


Já o item 11.16.1 do documento diz que "são considerados problemas logísticos, para fins de devolução do valor pago a título de taxa de inscrição, fatores supervenientes, peculiares, eventuais ou de força maior, como: desastres naturais (que prejudiquem a aplicação do CPNU devido ao comprometimento da infraestrutura do local), falta de energia elétrica (que comprometa a visibilidade da prova pela ausência de luz natural) que incorra em comprovado prejuízo imprevisível e insuperável ao candidato".


Na manhã desta sexta-feira, 3, antes do anúncio do adiamento, o Ministério da Gestão chegou a informar que as solicitações de reembolso deveriam ser enviadas até o dia 10 de maio, por meio da Área do Candidato.


Com o adiamento das provas, ainda não há informações sobre como e se será feita a devolução da taxa.

Provas do Concurso Unificado serão em dois turnos

Quando remarcadas, as provas objetivas e discursivas do Concurso Unificado serão realizadas nos turnos da manhã e da tarde. Confira os horários:


Turno da manhã

  • Abertura dos portões: 7h30
  • Fechamento dos portões: 8h30
  • Início da aplicação: 9h
  • Término da aplicação: 11h30
  • Término da aplicação para candidatos que necessitem de tempo adicional para realização das provas e tenham solicitado no ato da inscrição: 12h30
  • Duração da prova: 2h30

Turno da tarde

  • Abertura dos portões: 13h
  • Fechamento dos portões: 14h
  • Início da aplicação: 14h30
  • Término da aplicação: 18h
  • Término da aplicação para candidatos que necessitem de tempo adicional para realização das provas e tenham solicitado no ato da inscrição: 19h.
  • Duração da prova: 3h30

No turno da manhã, os inscritos nos blocos de nível superior (1 a 7) deverão responder a 20 questões objetivas de Conhecimentos Gerais e a uma questão dissertativa de Conhecimento Específico.


Para o bloco de nível médio (8), os participantes farão 20 questões de múltipla escolha e uma redação.  


No período da tarde, para os blocos de nível superior (1 a 7), serão cobradas 50 questões objetivas de Conhecimentos Específicos.


Já os candidatos no bloco de nível médio (8) farão mais 40 questões objetivas.


Será eliminado quem obtiver aproveitamento inferior a 40% da pontuação nas provas objetivas de Conhecimentos Gerais e Específicos ou nota zero na prova discursiva.


Com o "Manual das Provas CNU", você tem acesso a informações compiladas e a um checklist para as provas. BAIXE GRATUITAMENTE AQUI!

Logo Qconcursos
Conteúdo Qconcursos

Salário

Até R$ 22.921,71

Cargos

9

Vagas

13280
PRÓXIMA LIVEVer todas
Imagem do vídeo principal

QC HighTech - Aula de Informática

Equipe Qconcursos