Ministra sinaliza novo Concurso Unificado e até 10 mil vagas

Ministra Esther Dweck afirma que novo Concurso Unificado pode ocorrer entre 2025 e 2026 e que mais 10 mil vagas podem ser autorizadas. Confira!

Concursos Previstos
Autor:Bruna Somma
Publicado em:04/03/2024 às 12:08
Atualizado em:04/03/2024 às 15:54

A ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, voltou a falar sobre uma nova edição do Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), também chamado de Enem dos Concursos.


Em entrevista ao jornal O Globo, publicada nesta segunda-feira, 4, ela afirmou que o próximo Concurso Unificado provavelmente ocorrerá entre 2025 e 2026, tendo vagas suficientes para isso.


Ela ainda falou sobre a expectativa de autorizar de 9 a 10 mil vagas em concursos federais até 2026. Esse quantitativo inclui novos editais e a chamada de excedentes em seleções já realizadas.

"No ano passado, autorizamos 9 mil vagas, exceto educação e militares, que têm regras próprias. E há expectativa de, pelo menos, dobrar o número de vagas autorizadas, criar mais 9 mil ou até 10 mil até 2026, tanto em novos concursos quanto chamando excedentes de concursos já autorizados. Entre 18 mil e 20 mil é um número razoável de novas contratações. Estamos trabalhando, olhando o espaço orçamentário", disse a ministra, em entrevista ao O Globo.

Em coletiva de imprensa realizada no dia 23 de fevereiro, a secretária executiva do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), Cristina Mori, já tinha adiantado sobre a possibilidade de um novo CPNU no ano que vem.


A secretária ponderou que um novo edital depende das vagas que serão autorizadas pelo MGI. Além do orçamento disponível para a execução do processo seletivo nacional.

"Estamos começando os estudos agora para entender se vamos ter um número de vagas que justifique a realização de um concurso em escala nacional, como estamos fazendo agora. As vagas que são autorizadas dependem dos órgãos que nos mandaram, então certamente requer uma nova articulação com um novo conjunto de órgãos que tenham vagas supostamente aprovadas", reforçou.

Cristina Mori destacou que o processo para a autorização de novos editais tem seguido uma metodologia de dimensionamento da força de trabalho dos órgãos, em que o MGI busca entender a real necessidade de um órgão para a recomposição do quadro funcional.


>Prepare-se para o Concurso Nacional Unificado. Confira aqui material exclusivo e as últimas informações do CNU!

Ministra Esther Dweck confirma possibilidade de novo CPNU

(Foto: Folha Dirigida por Qconcursos)


Em caso de uma nova edição do Concurso Unificado, a ministra do MGI, Esther Dweck, confirmou que o modelo de distribuição das vagas por blocos temáticos deverá ser mantido.

"A lógica ali (divisão por blocos) é mais pelo tema do que pela vaga e pelo órgão em si. Essa lógica, até esse momento, foi uma boa decisão e, por enquanto, vamos manter", destacou a ministra.

Novos concursos federais podem ser autorizados em março

A ministra Esther Dweck já confirmou que novos concursos federais serão autorizados em breve. Segundo ela, os primeiros órgãos contemplados serão divulgados neste mês de março.

"Este ano iremos autorizar sim novos concursos, mas em uma quantidade inferior do que em 2023. Vamos esperar um pouco esse período das inscrições do concurso (unificado) para anunciar as novas vagas, possivelmente, ao longo do mês de março", afirmou a ministra, em entrevista coletiva.

No governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos é o responsável por analisar e autorizar os concursos para os órgãos do Executivo Federal.


Entre os concursos que poderão receber novas autorizações em 2024 está o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Isso porque a área Ambiental é considerada uma das prioridades do Governo Federal para este ano.


Vale destacar que, em entrevista à Folha Dirigida por Qconcursos, a secretária adjunta de Gestão de Pessoas do MGI, Regina Camargos, ponderou que o Ibama e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) estavam entre os órgãos com maior déficit de pessoal.

Concurso Unificado bate recorde com 2 milhões de inscritos

O Concurso Unificado bateu recorde ao atingir a marca de 2.144.435 inscritos confirmados. A disputa é pelas 6.640 vagas imediatas para diferentes cargos de 21 órgãos do Poder Executivo Federal.


Essas oportunidades estão agrupadas em oito blocos temáticos, que representam as áreas de políticas públicas brasileiras. Só foi possível se inscrever para um dos blocos temáticos.


Confira abaixo a relação candidato por vaga, de acordo com o bloco temático do CPNU:


Bloco 1 - Infraestrutura, Exatas e Engenharias

Vagas: 727

Inscritos: 121.838

Concorrência: 167,59 candidatos


Bloco 2 - Tecnologia, Dados, e Informação

Vagas: 597

Inscritos: 77.943

Concorrência: 130,55 candidatos


Bloco 3 - Ambiental, Agrário e Biológicas

Vagas: 530

Inscritos: 102.922

Concorrência: 194,19 candidatos


Bloco 4 - Trabalho e Saúde do Servidor

Vagas: 971

Inscritos: 336.284

Concorrência: 346,32 candidatos


Bloco 5- Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos

Vagas: 1.016

Inscritos: 300.766

Concorrência: 296,02 candidatos


Bloco 6 - Setores Econômicos e Regulação

Vagas: 359

Inscritos: 74.283

Concorrência: 206,91 candidatos


Bloco 7 - Gestão Governamental e Administração Pública

Vagas: 1.748

Inscritos: 429.370

Concorrência: 245,63 candidatos


Bloco 8 - Nível Intermediário

Vagas: 692

Inscritos: 701.029

Concorrência: 1.013,04 candidatos.


Prepare-se para as vagas de nível médio do Concurso Público Nacional Unificado. Cadastre-se e tenha acesso a aulas gratuitas!

Provas objetivas e discursivas do concurso serão em maio

O Concurso Público Nacional Unificado será composto pelas seguintes fases:

  • 1ª fase: provas objetivas e discursivas;
  • 2ª fase: perícia médica (avaliação biopsicossocial);
  • 3ª fase: procedimento de verificação da condição declarada: reserva de vagas para pessoas negras; e
  • 4ª fase: procedimento de verificação documental complementar: reserva de vagas a indígenas. 

Haverá ainda avaliação de títulos para alguns cargos.


As provas objetivas e discursivas serão no dia 5 de maio, em 220 cidades do país. A aplicação será dividida em dois turnos. Confira:


Turno da manhã (2h30 de prova)

  • Para cargos de nível médio: provas objetivas (20 questões) + redação; e
  • para cargos de nível superior: provas objetivas de Conhecimentos Gerais (20 questões) + prova discursiva Específica do bloco.

Turno da tarde (3h30 de prova)

  • Para cargos de nível médio: provas objetivas (40 questões); e
  • para cargos de nível superior: provas objetivas de Conhecimentos Específicos (50 questões).

Para os cargos de nível médio, do Bloco 8, as provas objetivas terão questões de Língua Portuguesa, Noções de Direito, Matemática e Realidade Brasileira. A discursiva será uma redação. 


Já para os cargos de nível superior, na parte objetiva, os concorrentes deverão responder a questões sobre Políticas Públicas e Conhecimentos Específicos, a depender do bloco temático escolhido. Na discursiva, será cobrada uma questão Específica.


Abaixo, confira aula gratuita sobre Realidade Brasileira focada no bloco 8:


Logo Qconcursos
Conteúdo Qconcursos

Salário

Até R$ 22.921,71

Cargos

9

Vagas

13280
PRÓXIMA LIVEVer todas
Imagem do vídeo principal

QC HighTech - Aula de Informática

Equipe Qconcursos